MARCA VIÚVA LAMEGO®

  •  draggable=
  •  draggable=

MARCA VIÚVA LAMEGO®

A produção de azulejos em Portugal data de meados do século XVI, contudo, é no século XIX, que esta indústria se afirma definitivamente. A crescente procura oriunda do Brasil de louças e azulejos portugueses, ideais para proteger os edifícios do clima quente e húmido, levou ao aparecimento de fábricas de cerâmica por todo o país. Fundada em 1849, a VIÚVA LAMEGO® foi uma das primeiras. Nos primeiros tempos, a fábrica produzia sobretudo artigos utilitários em barro vermelho, azulejos em barro branco e alguma faiança. Com a chegada do século XX, o azulejo tornou-se o principal produto da marca VIÚVA LAMEGO® já então uma fábrica virada para os artistas, com ateliers de trabalho que colocava à sua disposição. A partir dos anos 1930, um dos pilares da marca VIÚVA LAMEGO® foi a colaboração com artistas plásticos, que viram potencial criativo nas características do azulejo. Estando presentes na fábrica, falando com os artesãos e participando em todas as fases dos projetos, criadores de diferentes quadrantes contribuíram para a revitalização da cerâmica artística em Portugal. A partir do momento em que há espaço para a arte nos edifícios públicos, a relação entre arquitetos e artistas plásticos estreita-se. Os mestres da marca VIÚVA LAMEGO® são chamados a contribuir em projetos arquitetónicos inovadores que privilegiam o azulejo, assinados por nomes como Siza Vieira, Souto de Moura ou Rem Koolhaas, todos estes vencedores de prémios Pritzker. Projetos deste nível elevam a azulejaria ao plano da arte. Ao associar azulejo à criação artística contemporânea a marca portuguesa VIÚVA LAMEGO® garante que a tradição não só se mantém, como se renova. O caminho trilhado por Álvaro Siza, Cargaleiro, Erró e outros tem vindo a ser continuado pelas novas gerações de artistas e arquitetos que veem no azulejo um material de eleição para experimentar e na marca VIÚVA LAMEGO® o espaço que acolhe as suas ideias mais arrojadas.

Categoria
Casa Decoração, Cerâmica